Estimado prefeitoTomo a liberdade de escrever-lhe daqui de onde estou para rememorar alguns fatos relativos à nossa cidade de Canela. O Senhor como morador da cidade, lá se vão alguns anos, e professor de oficio, conhece bem a história da cidade. Lá pelos idos de 1821, conhecida como “Campestre Canela”, servia de pousada de tropeiros, exatamente no local onde hoje se encontra a praça que leva meu nome, homenagem que muito me honra.Sabe também do esforço por mim empreendido para trazer a estrada de ferro de Taquara a Canela. Foi minha também a idéia de fazer de Canela um pólo turístico, aproveitando as características físicas da região. Uma pena que cresceu e ainda cresce desordenadamente por falta de planejamento urbano, sem um projeto de cidade. Talvez por isso, até hoje não tenha um local para contar sua historia, uma espécie de Museu da Cidade, onde possa exibir detalhes do patrimônio cultural e ambiental do municipio.A cidade deve ser legível para quem anda a pé e não usufruída do interior de um automóvel em movimento.Neste sentido gostaria de recomendar ao senhor, como canelense que sempre fui, que conclame seus arquitetos a pensarem além do Plano Diretor, não entregue à iniciativa privada as feições da cidade, ou seja, seu desenho. Valorize as características locais, discuta com toda a cidade, “que cidade queremos”. Vá além do asfaltamento de ruas.Para finalizar, gostaria de dizer que tomei um susto ao saber da estátua de um faraó a me fazer companhia na praça, acredito que não seja permanente, deve ser só divulgação de mais um desses museus estranhos a cidade.Mais preocupado ainda fiquei com o boato que circula por aqui. Dizem que irão colocar na entrada da cidade, como para recepcionar os turistas, a réplica da Estatua da Liberdade, símbolo da cidade de Nova Iorque. Quero crer que seja intriga, até por que, atualmente não dá para acreditar em tudo que se diz.Aqui me despeço, recomendando que não acredite em todo empreendimento que alega geração de empregos. Olhe para a cidade primeiro. Geração de empregos não é programa social se não vier acompanhado de distribuição de renda e qualidade de vida.Até breve.

Humberto Hickel